Terumi Koga

inicial - guia de profissionais - Prest. serv. / Londrina Pr - Terumi Koga

c_koga@hotmail.com
Rua Quintino Bocaiuva, 555 -
Londrina / PR
(43) 30262640
www.fotocelula.com.br
  Terumi Koga
-
 

Uma palavra nos liberta de todos os fardos e dores da vida: essa palavra é o amor. (Sófocles)

Terumi Koga
 

Algumas pessoas têm o privilégio de nascerem no seio de uma família estruturada, cheia de conforto, não terem passado pela aflição de fugir de uma situação como uma pós-guerra. Quem conhece o empresário das lojas Foto Células, Terumi Koga, não tem idéia de como foi a vida desse filho de imigrante de japonês. É por isso, que eu inicio esse relato sobre Terumi Koga com essa citação do filósofo Sócrates: "Seja senhor de sua vontade e escravo da sua consciência". Não foi um ato impensado que seu nome figura no livro Profissionais do Ano de 2008. As lembranças de Terumi sobre seus pais são marcadas por uma forte carga de emoção inspirada pelo sofrimento de seo pai Suomo Koga, que sonhava em volta para casa, o Japão. Nessa época a família morava no interior de São Paulo, em Paraguaçu Paulista. O empresária afirma que perdeu as contas de quantas vezes viu a mala de seu pai arrumada achando que o governo brasileiro iria mandá-lo de volta para o país de origem. A mãe dona Tomiko Koga, era o amparo da família, mas não por muito tempo, pois logo Deus a chamou para junto dele, e seus oito filhos começaram a se virarem sozinhos. Mas, antes disso, seo Suomo já enviara Terumi Koga, com apenas 12 anos de idade, para o amigo fotografo Yoshide, lhe ensinar a profissão. "Eu aprendi a profissão sob duras penas. Yoshide bebia. Ele me explorava, eu tinha que fazer o serviço da loja e ainda preparar sua comida", explica. O tempo foi passando. O garoto foi se aprimorando na arte de fotografar. E, em 1961, Terumi chega a Rolândia. Ali começa a trabalhar de fotógrafo e estudar a noite. A partir de uma proposta do dono ele compra a loja. "Eu tinha uma parte do dinheiro para comprar a loja outra parte tive que fazer um empréstimo. Eu começava a trabalhar às sete da manhã e fecha à meia noite. Era a única loja aberta à noite. Eu paguei o empréstimo antes de vencer", afirma. Uma das coisas que Terumi se orgulha muito é de ter sido repórter fotográfico. Ele diz que muitas vezes foi convocado pelo João Milanês para fazer fotos de futebol. "Trabalhei um tempo na Folha de Londrina, experimentei esse outro lado profissional, é muito emocionante. Fiz alguma coisa na área social, mas confesso, não gostei muito", relata. Seus amigos são poucos, mas consistentes. Ele ouve mais do que fala, seu sorriso é contido, mas quando se abre é sincero. É homem que inspira compadecimento do ser humano. E isso talvez seja a maior de suas virtudes. "Tenho funcionários que já não produzem como antes mas estão para se aposentar, não posso colocá-los na rua", comenta. Atualmente ele tem oito lojas da Foto Célula espalhadas na cidade de Londrina e uma em Rolândia, onde tudo começou... mas chegou a ter mais que o dobro - que se estendia do Noroeste ao Centro e Centro Oeste do Paraná. "A solução foi drástica, fechamos mais da metade das lojas. A fotografia virou um hobby, qualquer pessoa tira fotos por celular e descarrega em seu computador", salienta o empresário. Ele continua: "Com era da máquina digital e dos celulares foi preciso capacitar nossos profissionais e investir em tecnologia digital, para oferecer um serviço de melhor qualidade ao cliente." Segundo Terumi, seu cliente é aquele acostumado a fazer turismo. "Geralmente essas pessoas gostam de ter esses registros impressos para mostrar aos amigos. Outros são de casamentos, fotos de formaturas, aniversários, festas de famílias, entre outras." A família é a base do sucesso. A esposa Fumiko Koga é o seu braço direito. Ela gerencia algumas áreas da empresa e cuida de sua agenda. Os filhos Cristiane (37), Michele (34) e Anderson (30), se dedicam intensamente nos negócios da família. "Apesar de estar à frente dos negócios, está na hora de delegar aos meus filhos a responsabilidade de administrar o patrimônio da família", comenta o Terumi. Nesse momento, como todo mestre oriental, ele procura estar de bem consigo mesmo. Está fazendo tênis, quer o aconchego da família, quer tempo para viajar e conversar mais com Fumiko. Eles merecem!!!

 
Inicial | Guia de Profissionais | Notícias | Depoimentos | Sobre o Livro | Sobre a Empresa | Responsabilidade Social | Fale Conosco
  webmail Agência Digital ICOMP